fbpx

Perfil de Cores

Perfil de Cores

Perfil de Cores

O perfil de cores, também conhecido como perfil ICC, é um dos principais elementos do gerenciamento de cores, pois contém as informações e medidas que descrevem as cores de um equipamento ou de um arquivo de imagem. Se as informações contídas no perfil de cores não refletirem com precisão o comportamento das cores do equipamento ou do arquivo de imagem, toda a qualidade do gerenciamento de cores fica comprometida. O perfil constitui o produto mais tangível dos serviços de gerenciamento de cores.

O que é um perfil de cores?

Um perfil de cores é um formato de arquivo padronizado para armazenar tabelas ou equações matemáticas, geradas a partir de informações colorimétricas, que refletem as características das cores de um equipamento específico ou de um arquivo de imagem. Por se tratar de um arquivo padronizado, um perfil de cores permite que diversos softwares de edição de imagens e editoração eletrônica utilizem as informações colorimétricas contidas nele e realizem operações de transformação de cores.

Flexibilidade do gerenciamento de cores com perfis de cores e o espaço colorimétrico

A flexibilidade do gerenciamento de cores proporcionada por perfis de cores independentes e um espaço colorimétrico como intermediário para transformação de cores

A figura acima ilustra a flexibilidade no gerenciamento de cores proporcionada pelo uso de perfis de cores de dispositivo, o tipo mais comum de perfil de cores. Temos dois dispositivos de entrada – uma câmera e um scanner – e três equipamentos de saída – uma impressora, um monitor e um equipamento industrial de impressão offset. Obtendo-se um perfil de cores para cada um desses dispositivos, é possível compatibilizar as cores entre todos os cinco equipamentos envolvidos. Nos dispositivos de entrada, os dados de caracterização presentes no perfil de cores fazem a conversão entre as cores próprias desses equipamentos para um sistema de cores colorimétrico, que pode ser o CIE Lab ou CIE XYZ. De posse desses valores colorimétricos, os perfis dos dispositivos de saída são usados para obter as cores específicas de cada um desses equipamentos.

Padronização dos perfis de cores

Desde 1993, o International Color Consortium – ICC, uma associação que reúne fabricantes de equipamentos e softwares da indústria gráfica e fotográfica, padronizou os perfis de cores. O padrão ICC, originalmente proposto pela Apple, define o formato do arquivo que armazena o perfil de cores, o que permite que todos os softwares profissionais de edição e impressão de imagens e elementos gráficos compartilhem as informações de cores de equipamentos. O padrão também define como os perfis de cores devem ser anexado a arquivos de imagem permitindo o intercâmbio de imagens sem que se percam as referências colorimétricas das cores que as compõem. O perfil de cores definido por esse padrão ficou conhecido como perfil ICC. Por isso, nos dias de hoje, os termos perfil de cores e perfil ICC são sinônimos no mercado gráfico e de fotografia.

Em 2005, a ISO tornou o perfil ICC um padrão internacional.

Todos os softwares profissionais de editoração eletrônica, ilustração, edição de imagens e processamento de arquivos PDF passaram a oferecer amplo suporte aos perfis ICC, o que facilitou enormemente a popularização das práticas de gerenciamento de cores. Graças a isso, podemos dizer que o gerenciamento de cores é uma tecnologia consolidada nos dias de hoje.

Um grande marco na adoção dos perfis ICC e, por consequência de todo o arcabouço do gerenciamento de cores, foi a sua inclusão como parte integrante da arquitetura de cores das ferramentas da Adobe, iniciada com o lançamento da versão 6.0 do Photoshop no ano 2000. Desde então, o uso de perfis de cores não é mais opcional, não há como desabilitar as funções de gerenciamento de cores nas ferramentas da Adobe. Essa decisão da Adobe de tornar o gerenciamento de cores um fundamento compulsório em todos os seus softwares, só reforça a importância do domínio das técnicas e práticas dessa disciplina na formação profissional de fotógrafos, designers e impressores gráficos.

Tipos de perfis

O padrão ICC definiu quatro diferentes tipos de perfis ICC. Cada um possui características próprias e foram definidos para serem usados em situações específicas.

Perfil de dispositivo

É de longe o tipo de perfil mais comum, a grande maioria dos usuários de gerenciamento de cores só lida com perfis desta natureza. Embora o nome oficial seja perfil de cor de dispositivo, devido a sua popularidade, são normalmente chamados simplesmente de perfis de cores. Esse tipo de perfil tem o objetivo de representar as cores de apenas um tipo de dispositivo, o que permite a grande flexibilidade do gerenciamento de cores representadas na figura acima.

O dispositivo representado pelo perfil pode ser um equipamento real, com suas características e imperfeições próprias ou pode definir um equipamento virtual, que seria definido por meio de equações matemáticas, sem imperfeições que poderiam ser usados para representar diversos tipos de equipamentos com características comuns. Toda essa questão de perfis de dispositivos reais e virtuais é um capítulo a parte e está descrito no artigo Perfil de Cores, Espaço de Cores e Espaço de Trabalho.

Perfil device link

Há um tipo específico de perfil ICC que permite conversões de cores mais elaboradas entre dois dispositivos. Chama-se perfil device-link e possui esse nome pois ele conecta diretamente as cores de dois dispositivos, fazendo a transformação direta entre um sistema de cores particular, normalmente RGB ou CMYK, em outro sistema de cores específico, também RGB ou CMYK tipicamente.

Fazendo a conexão direta entre os espaços de cores dos equipamentos, é possível fazer conversões mais elaboradas, como um mapeamento da gama de cores (gamut mapping) específico ou de canais de cores de forma independente. Por exemplo, em conversões CMYK para CMYK, pode-se configurar o perfil device-link para as cores pretas puras, que usam apenas a tinta preta, sejam mapeadas em cores puras só com a tinta preta, o que seria impossível de conseguir com perfis de dispositivos comuns.

A conversão de cores entre sistemas CMYK possui inúmeros parâmetros para a geração do preto. O objetivo, nesse caso, é chegar a um uso mais racional da tinta ou melhorar a aparência da imagem quando a presença do preto em meio a cores claras deixa pontos visíveis na impressão. Os perfis device-link são muito usados para gerar provas de cor e converter um padrão de impressão em outro; por exemplo, para transformar arquivos produzidos segundo a norma ISO 12647-2 no padrão americano GraCol 2013.

A tecnologia device-link inclui softwares mais sofisticados que otimizam o consumo de tinta, produzindo perfis que geram uma economia que pode chegar a 15–20 por cento. São perfis especializados em poupar tinta que procuram sempre manter a aparência das cores idêntica à do arquivo original. Ou seja, são perfis device-link cujo objetivo não é adaptar as cores entre dispositivos diferentes, e sim racionalizar o consumo de tinta em um único equipamento.

Perfil abstrato

Os perfis abstratos são na verdade transformações de cores embutidas em um perfil. Quando um perfil abstrato é aplicado a uma imagem, as cores dessa imagens são transformadas como se uma série de operações de edição de imagens tivesse sido feita na imagem. Para quem trabalha com vídeo, um perfil abstrato é similar a uma LUT (look-up table) que são muito usadas em softwares de edição de vídeos.  Os perfis abstratos ficaram mais populares desde que a versão CS4 do Photoshop passou a suportá-los em 2012.

Perfil nominal

Um perfil nominal é uma lista de paletas de cores, tal qual uma escala Pantone. Infelizmente esse perfil praticamente não é usado porque nenhuma ferramenta profissional de edição gráfica os suporta.